' Falta tanta coisa na minha janela como uma praia, falta tanta coisa na memória como o rosto dele*, falta tanto tempo no relógio quanto uma semana, sobra tanta falta de paciência que me desespero. Sobram tantas meias-verdades que guardo pra mim mesma*, sobram tantos medos que nem me protejo mais, sobra tanto espaço dentro do abraço, falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo..

segunda-feira, 5 de março de 2012

Crise da meia idade, antes da meia idade;

Pode isso? Tudo bem, eu sempre fui uma garota precoce, então não me estranha nem um pouco estar passando por isso antes da hora. Minto, eu brinquei de barbie até os 15 anos, fui começar a sair aos 17 e sempre fui o e.t da turma, então nem sempre fui tão precoce assim. Mas sempre fui uma pessoa centrada, na verdade, centrada até demais. Tenho me sentido assim há um tempo, mas só hoje fui pesquisar os verdadeiros sintomas desta tão falada, e tão pouco conhecida, crise. Segundo relatos, "o termo crise da meia idade é usado para descrever uma forma de insegurança sofrida por alguns indivíduos que estão passando pela "meia-idade", (que seria aproximadamente dos 40 aos 60 anos, mas como eu sempre comi cru, estou mais uma vez adiantada). A crise começa a aparecer quando as pessoas começam a perceber que o período de sua juventude está acabando e a idade avançada se aproxima. Essa crise pode ser desencadeada por vários fatores relacionados com essa época da vida, como a morte dos parentes, casos extraconjugais, andropausa, menopausa, sensação de envelhecimento, insatisfação com a carreira profissional e saída dos filhos de casa. Normalmente quem passa por isso sente uma enorme vontade de mudar seus modos de vida fazendo gastos exagerados com aquisições fúteis, abandonando o emprego ou terminando o casamento. É a fase perfeita para jogar tudo pro alto. E vontade não falta! Pessoas com crise de meia-idade normalmente apresentam os seguintes sentimentos: busca de um sonho ou objetivo de vida indefinido, profundo sentimento de remorso por metas não cumpridas, desejo de voltar a se sentir como em sua época de juventude, vontade de ficar mais tempo sozinho ou apenas com determinadas pessoas." 


Se eu falar que tenho sentido tudo isso e mais um pouco, vocês acreditam? Tô com 24 anos, faço 25 em agosto. Me sinto na casinha dos 30. Eu sempre achei que quando eu tivesse essa idade, eu já estaria casada, com um bom emprego, teria meu carro, meu apartamento, estaria planejando ter um filho daqui uns 2 / 3 anos. E enquanto isso estaria curtindo minha vida, viajando, conhecendo lugares e pessoas, etc. Minha vida não é nem 5% do que eu esperava que fosse ser. E isso é frustrante. Frustrante porque você se sente velho, sem ter conquistado nada do que queria. E da medo, muito medo. Medo de continuar assim, medo de que seja sempre assim. E o pior de tudo, é não saber o que fazer, ou como fazer, pra que tudo seja como você espera. Tô levando uma vida mais ou menos, com um emprego mais ou menos, um relacionamento mais ou menos, dinheiro nenhum e objetivos de menos. Tem como se sentir mais incompetente?


Meu emprego é uma porcaria. Ganho mal pra caramba, não faço o que eu gosto, e estou ficando doente de tanta pressão e nervoso. Com o meu MARAVILHOSO salário, não consigo conquistar nada do que eu quero nem nos próximos 30 anos. Não tenho pra onde crescer e enquanto não encontro nada melhor tenho que me manter firme e forte. Mas na pele, nada é tão fácil quanto aparenta ser. Meu relacionamento, se é que da pra chamar assim, é baseado em uma farsa. Embora tenha muito sentimento, não tem exatamente AQUELE sentimento. Aquilo que eu sinto mais falta. Na verdade, sinto falta de tanta coisa que daria lugar pra mais um post, quem sabe ele surja em algum dos próximos assuntos, mas o fato é que, eu não sinto que tô caminhando pro lado certo. Se é que vocês me entendem.


Eu acho que ninguém quer crescer na marra. Se eu pudesse ter de volta toda aquela minha inocência de criança, não pensaria duas vezes. Mas o tempo tá passando... E tá tudo tão errado na minha vida. Não tenho mais tempo pra viver de tentativa e erro. Nunca tive tanto medo de ver o tempo passando. Nunca me senti tão pequena diante de algo. Eu nunca soube o que fazer! Tá mais do que na hora de aprender, né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário